Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Bolsonarismo

Tá todo mundo louco? | com Sérgio Freire | 156

Imagem
Após a vitória de Lula no segundo turno das eleições presidenciais, grupos de Bolsonaristas rumaram para estradas e portas de quartéis, questionando o resultado das urnas e demandando um golpe de Estado que impedisse o presidente eleito de tomar posse.   Além da pauta golpista desses grupos, o fenômeno chamou a atenção por conta das muitas bizarrices que proporcionou: indivíduo que se agarra a um caminhão, pessoas clamando pelo socorro de extraterrestres, orações num "muro das lamentações", hino cantado para um pneu de trator, choro e ranger de dentes. O que explica tais comportamentos? Seria um surto coletivo? Teria o bolsonarismo se tornado uma seita que mobiliza hordas de fanáticos? Essas pessoas não temem o ridículo? Procurando entender esse fenômeno, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Sérgio Freire, linguista e psicólogo clínico, professor da Universidade Federal do Amazonas, onde integra o LAPCRI (Laboratório de Psicanálise e Criação) e dirige a ed

O Brasil voltou? | com Dawisson Belém Lopes | 155

Imagem
Os anos de Jair Bolsonaro na Presidência foram marcados pelo crescente isolamento internacional do Brasil, convertido num pária global. Essa situação pode mudar com o novo governo Lula?   Os primeiros sinais a tal respeito foram bastante positivos. Antes mesmo da eleição, governantes europeus importantes, como os primeiros ministros de Portugal e Espanha, declararam apoio a Lula.   Logo após o anúncio da vitória do ex-presidente, diversos governos se apressaram em reconhecer o novo governante eleito. Destacadamente, Joe Biden, presidente dos EUA, congratulou Lula apenas 38 minutos após o anuncio de sua eleição pelo TSE. O primeiro ato importante do futuro presidente foi ir à COP 27, no Egito, onde foi saudado como pop star por autoridades governamentais e lideranças da sociedade civil. Lula foi ovacionado ao dizer que "o Brasil voltou". Pode-se então afirmar que voltou mesmo? Para discutir o tema este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Dawisson Belém Lopes, p

O Letramento Fascista | com Michel Gherman & Fabio Gentile | 154

Imagem
Após a derrota de Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial, manifestações golpistas tomaram ruas, estradas e outros espaços públicos, contestando o resultado das urnas com base em teorias conspiratórias e fake news. Em algumas delas, como em São Miguel do Oeste, Santa Catarina, os ataques bolsonaristas à democracia se fizeram acompanhar de demonstrações nitidamente fascistas, lançando mão de símbolos do nazifascismo, como o "sieg heil". O que explica não só essas expressões neofascistas recentes, desdobradas do bolsonarismo, mas também o crescimento desse tipo de movimentação no Brasil desde que Jair Bolsonaro ascendeu ao poder? Para discutir esse tema, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe dois especialistas no tema . Um é Michel Gherman, sociólogo, professor da UFRJ, onde é também pesquisador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Judaicos, além de membro do Observatório da Extrema Direita (OED). O outro é Fábio Gentile, cientista políti

Lula Eleito. E agora? | com Bruno Reis | 152

Imagem
Após uma disputa apertada e tensa, Luis Inácio Lula da Silva venceu a disputa presidencial, dando início ao término dos quatro anos de bolsonarismo no governo.   Contudo, os desafios do novo presidente e de seu governo não se encerraram. Lula terá de lidar com um Congresso de maioria conservadora e com um legado desastroso de desorganização administrativa, aparelhamento das forças de segurança, deterioração do ambiente político e contestação ao resultado das urnas. Que cenário é esse que advirá após a vitória eleitoral? Para discutir esse tema, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Bruno Pinheiro Wanderley Reis, cientista político, professor do Departamento de Ciência Política e diretor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) da UFMG. Twitter de Bruno Reis: @brunopwr   As músicas deste episódio são "Zula" e "A Kind of Party" dos Mini Vandals. Além do YouTube, este episódio está disponível em vídeo também no Spotify Podcasts. Leia o b

A Batalha das Redes | com David Nemer | 151

Imagem
A eleição de 2022 chega a seu final com embates nos meios de comunicação tradicional, nas ruas e, principalmente, nas redes sociais.   Depois de vencer as eleições de 2018 se valendo fartamente da utilização das redes, em especial do WhatsApp, o bolsonarismo enfrenta um jogo mais equilibrado. Seus adversários, embora ainda em certa desvantagem, aprenderam a utilizar as ferramentas digitais das redes para a disputa eleitoral. Na campanha de Lula, a entrada de André Janones produziu um fato novo.   O principal efeito do "janonismo cultural" tem sido produzir ruído e um curto-circuito cognitivo nas hostes bolsonaristas. A equipe de comunicação digital da extrema-direita se vê atarantada com o novo adversário. No seio da campanha bolsonarista, Carlos Bolsonaro perde espaço para políticos tradicionais e marqueteiros, embora siga atuante e próximo ao pai - especialmente nos debates. Como entender esse fenômeno tão complexo e tão relevante para a disputa política cont