Postagens

Mostrando postagens de março, 2023

Os rumos do Supremo | com Eloísa Machado | 169

Imagem
Em maio de 2023 o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, completa 75 anos e, com isso, tem que se aposentar. Com isso, iniciam-se as especulações sobre quem o substituirá.   Dois nomes despontam como favoritos. O mais cotado é Cristiano Zanin, advogado de Lula, que atuou em sua defesa na Lava Jato. O outro é Manoel Carlos de Almeida Neto, ex-assessor de Lewandowski no STF.   A escolha é especialmente importante num momento em que o Supremo avança num processo de reformulação de seus procedimentos, aumentando o peso do colegiado vis-à-vis decisões monocráticas. Vale lembrar do papel crucial desempenhado pelo STF na resistência aos ataques autoritários perpetrados pelo bolsonarismo. Com um governo normal, o tribunal pode retomar uma atuação mais tranquila. Para discutir tais temas este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe Eloísa Machado, advogada e professora de Direito Constitucional da FGV Direito SP , onde coordena o grupo de pesquisa "Supremo em Pauta" . O Twitt

O espólio dos Bolsonaro | com Carolina Botelho | 168

Imagem
Diante da grande possibilidade de Jair Bolsonaro ser tornado inelegível pelo Tribunal Superior Eleitoral, uma disputa é travada por seu espólio político. Mas quem compete por ele?   Por um lado, há os membros da família Bolsonaro, integrantes de seu empreendimento político-familiar. Dentre os filhos, Eduardo desponta como o mais talhado a seguir os passos do pai. Contudo, a figura mais reluzente atualmente e a da ex-primeira dama, Michelle Bolsonaro. Ela ganhou destaque durante a campanha e tem tido protagonismo no PL, partido da Família no momento.   Porém, os eventos recentes, como o escândalo das joias das Arábias, atingiram também a Michelle - além, claro, de produzir mais um grande estrago para Jair, o patriarca. Por fim, lideranças emergentes nos estados, beneficiárias da onda bolsonarista, também disputam esse nicho. É o caso de Romeu Zema (MG), Tarcísio de Freitas (SP) e Cláudio Castro (RJ). Para discutir o tema , este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe a cienti

Desastres nada naturais | com Fernando Nogueira & Francisco Comarú | 167

Imagem
A catástrofe humana ocorrida no litoral norte paulista, nos municípios de Bertioga, São Sebastião, Caraguatatuba e Ubatuba, repete um padrão visto todos os anos em diversos municípios brasileiros.   Pessoas pobres, sem opção de moradia que não sejam áreas de risco – em decorrência da falta de políticas públicas habitacionais e de gestão do território – são as vítimas recorrentes desses eventos extremos.   É impróprio, contudo, chamá-los de desastres naturais, pois suas causas são artifícios sociais: desigualdade, ação humana sobre o meio ambiente, (falta de) regulação da ocupação do território, falta de políticas sociais e especulação imobiliária. Além disso, falta-nos também uma política de gestão de riscos que permita lidar com tais problemas em tempo hábil, evitando o pior - isto é, a perda de vidas humanas. Para discutir o assunto , este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebe dois convidados dedicados a lidar com tal feixe de temas. Um é Fernando Rocha Nogueira, geólogo,