O Estado de Espírito do Eleitorado | 130 | Com Nara Pavão & Silvana Krause

As eleições de 2022 apresentam dois cenários distintos nos planos nacional e estadual. Nacionalmente se consolida a bipolarização entre Lula e Bolsonaro, com pouquíssimo espaço para outros concorrentes, mas nos estados a disputa ainda está em aberto.

O que explica tal quadro? O que poderia mudá-lo?


 

O sistema partidário brasileiro tem passado por significativas transformações, ainda que a hiperfragmentação permaneça. Se, por um lado, o PT segue como um polo organizador da disputa nacional – devido ao petismo e ao antipetismo –, nenhum outro partido consegue desempenhar papel similar.

O PSDB, que por duas décadas polarizou com o PT nas disputas presidenciais, com desdobramentos em alguns estados, desmilinguiu. Seu candidato presidencial, João Dória, não sobreviveu à impopularidade e ao boicote dentro de seu próprio partido, que segue conflagrado.

O bolsonarismo, porém, que logrou (com sucesso eleitoral) substituir o PSDB na polarização com o PT em 2018, não tem ancoragem partidária, fiando-se numa lógica de movimento ativado por uma liderança carismática e pelo controle da máquina governamental.

Entretanto, se o antipetismo foi fator importante de arregimentação política à direita do espectro ideológico, nestas eleições presidenciais (e mesmo em algumas estaduais) o antibolsonarismo cumpre papel análogo, da centro-direita à esquerda.

Isso pode mudar? A bipolarização assimétrica entre uma extrema-direita autoritária e uma centro-esquerda democrática pode dar espaço ao surgimento de uma opção de centro-direita, ou mesmo de direita moderada? Que papel as fake-news podem ter na disputa?

Para discutir esses temas, este #ForadaPolíticaNãoháSalvação recebeu duas cientistas políticas. São elas:


Músicas deste episódio: "Gravel Road" (The 126ers), "Evertything Is Gonna Be Fine" (Jeremy Blake) e "The Life" (Delírio).

Leia o blog do #ForadaPolíticaNãoháSalvação no site da CartaCapital.

Agradecemos ao novo apoiador do Fora da Política Não há Salvação: Alysson Portella.

Apoie o  e ajude o canal e o podcast a se manterem e a melhorar! Apoiadores contarão com agradecimentos nos créditos dos episódios (claro, desde que desejem) e terão acesso a brindes digitais  relacionados ao tema do canal: a política.

Há três formas possíveis de apoio.

#Eleições #FakeNews #PartidosPolíticos































 

 

 

Comentários

As mais lidas

Como destruir um pais | publicado originalmente no Valor Econômico em 07.01.2021

O governo dos invertidos | publicado originalmente no Valor Econômico em 17.12.2020